NOTA OFICIAL – ARBITRAGEM DE SC

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) vem a público esclarecer os fatos contidos na nota oficial publicada nas redes sociais do seu filiado Barra Futebol Clube, em relação ao seu descontentamento para com a arbitragem do último domingo na partida contra o Figueirense Futebol Clube, pelas quartas de final do Campeonato Catarinense Fort Atacadista 2024.

Discordamos sobre a citação do histórico de erros do árbitro CBF, Edson da Silva, afirmando que nossa comissão de arbitragem tem absoluta certeza da capacidade técnica do referido árbitro para atuar em jogos com alta importância.

Ao contrário do que diz a nota do nosso filiado, Edson da Silva já provou suas qualidades em arbitrar partidas com elevada exigência técnica e emocional em várias competições nacionais, sendo requisitado pelas escalas CBF.

Destacamos ainda nossa discordância com a citação de “escolha questionável” em função de se tratar de um jogo de quartas de final, reafirmando a nossa total confiança nas ações do nosso Departamento de Arbitragem que, historicamente, tem tomado suas decisões com extremo rigor e critério técnico.

Quanto às afirmações do técnico Eduardo Souza (Barra FC) manifestando publicamente sua prévia preocupação com a escolha da arbitragem, desaprovamos veementemente, destacando que o tema tem como foro a sede da FCF e seu competente Departamento de Arbitragem, onde deveria ter sido manifestada.

Em relação a correta expulsão aplicada aos 9 minutos de jogo, decorreu de uma conduta violenta praticada pelo atleta Ewerton Ferreira da Silva (Barra Futebol Clube) por utilizar seu braço com movimento adicional contra seu adversário Leonardo Lima dos Santos (Figueirense FC SAF) atingindo seu rosto, sendo este advertido com cartão amarelo por conduta anti-desportiva antes de ser agredido.

A reclamação de jogar 80 minutos em desvantagem numérica foi responsabilidade da atitude imotivada e inconsequente de seu atleta e não da arbitragem que aplica a regra do jogo independente do momento. A responsabilidade deve ser assumida e não transferida.

Fonte: federação Catarinense de Futebol

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima
Abrir bate-papo
Olá 👋
Podemos ajudá-lo?